Valorizar e respeitar as diferenças entre as pessoas. Este foi tema da roda de conversa durante as atividades realizadas por crianças e adolescentes que participam do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV),  do bairro Vila Arthur. 

No dia 20 de novembro, foi comemorado o Dia da Consciência Negra e os integrantes da unidade social tiveram um dia marcado por contos e histórias de um um dos maiores líderes quilombola do Brasil, Zumbi dos Palmares.

Como explica a orientadora social, Renita Barros é preciso ensinar as crianças sobre fatos que marcaram a nossa história, porém a informação deve ser feita de forma lúdica, sem perder a importância da data comemorativa.  “Dessa forma eles aprendem e memorizam com mais facilidade, contribuindo para a melhora no rendimento escolar, uma vez que os nossos encontros acontecem no contraturno escolar”. 

Além de ler histórias para as crianças, a orientadora social estimula a leitura. “Muitos deles durante o encontro acabam buscaste interagir por meio de leituras e outras atividades realizadas durante a nossa reunião semanal”. 

Nos polos Marajoara e Jardim Paula II as crianças e adolescentes também tiveram orientações sobre o racismo, e a importância do Dia da Consciência Negra. A orientadora social, Jucineide, trabalhou o tema com rodas de conversas e brincadeiras em grupos para que os participantes possam atuar em conjunto e de forma compartilhada. 

MUDANÇA DE TEMA: Uma das datas mais esperadas do ano, o Natal, está chegando e, as crianças e adolescentes que participam dos Serviços e Convivência e Fortalecimento de Vínculos já estão entrando no clima. Alguns polos já começam a trabalhar esse tema. Os participantes dos polos Figurinha e Jardim Esmeralda já deram início às atividades.

A reutilização de materiais recicláveis, como papelão, garrafas pet e tampinhas estão sendo utilizados para a construção de painel e árvores de natal. O trabalho deve ser concluído nas próximas semanas para a confraternização entre os grupos de cada região.

A secretária de Assistência Social, Ana Cristina Vieira disse que a pasta trabalha com diversos viés, e que o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos apresenta sempre resultados positivos. “É importante destacar o trabalho das orientadoras sociais que atuam na ponta e que têm a responsabilidade de orientar as pessoas em situação de vulnerabilidade social, buscando promover seu bem estar e autonomia. Esses profissionais operam junto às comunidades constituindo um elo familiar”.

A gestora disse ainda que a Proteção Social Básica potencializa a família como unidade de referência,  e trabalha para o fortalecimento de vínculos internos e externos, através do protagonismo de seus membros e da oferta de um conjunto de serviços que visam à convivência, a socialização e o acolhimento, em famílias cujos vínculos familiar e comunitário não foram rompidos. “As atividades são realizadas em grupos de modo a garantir aquisições progressivas aos seus usuários, de acordo com o seu ciclo de vida, a fim de complementar o trabalho social com famílias e prevenir a ocorrência de situações de risco social”.