Fórum da Região Turística Metropolitana fortalece com políticas unificadas

Turismo Local
Fórum da Região Turística Metropolitana fortalece com políticas unificadas


23/04/2019    432

Representantes do Fórum da Região Turística Metropolitana de Cuiabá e Várzea Grande se reuniram para apresentarem as potencialidades turísticas dos municípios de Cuiabá e Várzea Grande. Na assembleia o secretário de Desenvolvimento Urbano, Econômico e Turismo e presidente do Fórum, José Roberto Amaral apresentou projetos arquitetônicos da Avenida Alameda Júlio Muller e do Parque Ambiental Bernardo Berneck. O Fórum é composto por integrantes do poder público de Cuiabá, Várzea Grande e iniciativa privada de distintos segmentos. O encontro ocorreu nesta terça-feira (23), na sede da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Econômico e Turismo. A pauta, apresentação da diretoria definitiva e aprovação do regimento interno.

O Ministério do Turismo obriga as regiões metropolitanas reunirem com a finalidade de propor diretrizes, apresentar projetos, cabendo também discutir e deliberar sobre a perspectiva do setor como vetor de desenvolvimento, estratégia de regionalização e segmentação do turismo e as reestruturações da rede de governança que sustenta a Gestão Descentralizada e Compartilhada do Turismo e outros marcos legais referentes ao segmento.

Para o secretário, a reunião é uma maneira democrática e descentralizada de fazer com que todos que entendam de turismo opinem sobre o assunto. “Pretendemos consolidar rumos e estreitar as relações dos dois municípios com apoio da iniciativa privada. O Fórum é um órgão colegiado, com atribuições consultivas e propositivas, com a missão de promover e apoiar o desenvolvimento sustentável do turismo da Região Turística Metropolitana, por meio da articulação e integração dos atores sociais locais e da proposição e análise de políticas, planos, programas e projetos. O que se pretende é fortalecer o turismo local para geração de emprego e renda. Os dois municípios são forte por ter o mesmo ecossistema com potencial de exploração do ecoturismo”.

Por: Cláudia Joséh - Secom/VG